NECESSIDADE DE ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA NAS EMPRESAS

30/01/2004 00:58

 

Resumo

A administração participativa dentro de uma empresa possibilita as pessoas participarem na tomada de decisão da empresa, proporcionando vantagens para os funcionários, dando certa autonomia e responsabilidade aos envolvidos, como meio de gerar parcerias com outras empresas e implantando a participação dos envolvidos com a administração em prol da visibilidade do negócio, que gere benefício e bem estar social dos funcionários para com a empresa onde trabalha.

 

Palavras-chave

Participação, gerenciamento, trabalhadores, benefícios


1 Introdução

Administrar de forma participativa uma empresa ainda requer uma necessidade da quebra de paradigmas onde envolve diversos conceitos, técnicas, experiências profissionais. A moderna teoria geral da administração ainda não conseguiu definir ao certo o que vem a ser administração participativa, por ser um dos campos mais complexos da administração.

Nesse campo da administração, por envolver muito a valorização do conhecimento humano, empresas como a 3M, para reterem seus talentos pagam um alto preço por isso, pois, uma simples idéia pode vir a ser uma grande utilidade ou até mesmo uma grande necessidade humana, que com o tempo se torna um benefício próprio, e até mesmo um avanço não só da inovação, mas também de tecnologia de modo geral.

 


2 O que vem a ser Administração Participativa

De maneira abrangente, administração participativa é uma filosofia ou doutrina que valoriza a participação das pessoas no processo de tomar decisões sobre diversos aspectos da administração das organizações. Disponível em: <http: // www.sebrae .com.br>.Acesso em 17 setembro 2006.

Por ser um dos campos mais complexos da administração, requer conhecimento tanto de conceitos como de técnicas e experiências profissionais. Administrar uma empresa de forma participativa requer a participação dos envolvidos com a empresa, pois liderar pessoas para alguns pode ser uma tarefa simples, mas para outros pode ser complexo.

Participar as pessoas para que possam valorizar a importância de uma necessidade que pode virar benefício para a empresa, requer a quebra de paradigmas onde para muitos o novo pode incomodar. Por gerar a sensação de medo, desconforto, na maioria das vezes as pessoas fazem ação e reação, gerando no subconsciente determinadas perguntas, como devo reagir, como devo aceitar, o que vão pensar, o que vou fazer, como vou fazer, vai gerar benefício ou insatisfação para os envolvidos com a organização?

Devido à necessidade em cumprir tarefas na maioria das vezes com prazos determinados, as pessoas acabam, de certa forma, ficando alienadas. Para se chegar a excelência dentro de uma empresa, isso requer a participação direta e indireta dos envolvidos com a empresa em todos os seus processos e procedimentos. O clima organizacional voltado para o trabalho em equipe é fundamental para se buscar a excelência, tanto profissional, quanto aos resultados da empresa, como a credibilidade, para que a marca da empresa possa ser sempre lembrada de forma positiva na mente do consumidor.


3 Como tomar decisões de forma participativa

Além da participação das pessoas, requer uma comunicação no processo decisório para a empresa no intuito de gerar bem estar e benefício, tanto para os envolvidos, quanto para a organização. Essa decisão vai além da comunicação, requer uma consulta individual ou em grupo e dar solução a determinado problema para que a empresa, de uma forma ou de outra, possa continuar progredindo no intuito de crescimento em seu ramo de atuação. Existem tipos de decisões a serem adotadas conforme a situação do momento podendo servir de modelo a ser seguido. Veja o quadro abaixo onde se diferencia o conservador do participativo.

INTROVERTIDO ( CONSERVADOR)

EXTROVERTIDO ( PARTICIPATIVO)

Projetada para atuar em ambiente estável

Flexível e adaptável às mudanças do mercado

A concepção e a execução do trabalho estão distanciadas

Aproximação da concepção e execução dos trabalhos

Trabalho especializado e rotineiro

A especialização atinge a empresa como um todo

Os setores operam de forma independente

Os setores operam de forma harmônica e coordenada

Há, entre as pessoas, um nível mínimo ou inexistente de relacionamento

O bom relacionamento interpessoal é condição para o ajuste da empresa às mudanças externas

A cúpula da empresa detém todo o poder para decidir

As decisões são tomadas de forma participativa

A capacidade de reação é lenta e reativa

Capacidade de reação rápida e pró-ativa

Reduzida capacidade de inovação

Grande capacidade de inovação

Disponível em: <http: // www.sebrae .com.br>.Acesso em 17 setembro 2006.

Quando a empresa adota o sistema participativo, de certa forma está aderindo para o crescimento voltado à flexibilidade onde na prática consegue se adaptar às mudanças que possam ocorrer no mercado. Sendo capaz de especializar a empresa como um todo, os setores operam de forma harmônica e coordenada, podendo tomar decisões de forma participativa visando à pró-atividade para que haja capacidade de inovar.


4 Quais as vantagens em participar os funcionários na administração participativa

A participação do trabalhador nos objetivos e resultados das empresas faz com que ele se sinta parte do processo criativo, produtivo e seus resultados. Com isso, a auto-estima do grupo tende ao crescimento gerando benefícios enormes para o indivíduo, todo o grupo e para a organização. É uma forma dele conhecer a realidade, analisando aspectos externos e internos da administração, viabilizando a gestão participativa.

4.1 Vantagens que ocorrerão com a nova forma de gerenciar 2 :

  • Desenvolvimento expressivo, proporcionando melhores resultados para a organização e para os indivíduos dela participantes;
  • Participação eficaz dos trabalhadores nos objetivos da organização, gerando clima propício ao desenvolvimento qualitativo no trabalho;
  • Distribuição eqüitativa de responsabilidade e dos resultados;
  • Satisfação com a essência dos fatos e não com as suas aparências;
  • Elevado grau de integração com a cultura da organização;
  • Sólida base para as decisões;
  • Aceleração das condições da competitividade da empresa;
  • Estímulo das condições da competitividade na organização;
  • Sustentação do diálogo e respeito às diferenças individuais.

Essas vantagens viabilizam em melhorar o ambiente interno da empresa para que os envolvidos possam se sentir parte integrante dela, sendo uma estratégia positiva que visa os resultados e o seu crescimento.


5 Autonomia e Responsabilidade

A autonomia com responsabilidade na administração participativa vem substituindo o estilo tradicional em administrar pessoas de forma autoritária e indiferente, pela liderança e cooperação, onde saber envolver as pessoas é fundamental, pois consultar e perguntar, ao invés de mandar, é uma visibilidade ampla do negócio, visando a lucratividade e crescimento da empresa num todo.

De certa forma o lado estrutural deve estimular as pessoas a participarem nas decisões do sistema de normas e procedimentos da empresa. Esses regulamentos, quando há participação das pessoas, descentraliza o organograma da empresa deixando de ficar centrado no topo da pirâmide, passando a ter a participação das pessoas, o que estimula as pessoas de forma direta ou indireta a participarem do crescimento da empresa de forma ampla.

Na organização participativa, a administração é compartilhada em diferentes interfaces e não apenas nas relações com os funcionários. Clientes são consultados em determinadas decisões sobre produtos e serviços enquanto fornecedores, distribuidores e o pessoal de assistência técnica participam de projetos de engenharia simultaneamente. A organização procura ser um sistema participativo interno, do ponto de vista comportamental e estrutural, e também aberto para o ambiente externo, recebendo todas as informações que possam ajudar no aprimoramento de sua administração. Disponível em<www.paginas.terra.com.br/educação/amkt/TAADM_ADMParticipativa.dod> .Acesso em 05 outubro 2006.


6 Empresas buscam parcerias

No intuito de diminuir custos, seja na produção de produtos ou prestação de serviços, muitas empresas formam parcerias. Estas decisões na forma de administração participativa, geram crescimento conjunto dessas empresas, abrangendo mercados nacionais e internacionais. Quando a empresa é especializada em fornecer produtos, é preciso ter na sua linha de produção um sistema que possa facilitar todo o processo de produção. Isto se deve ao fato de que, quando houver a solicitação do produto à produção, os controladores de estoque tenham domínio da situação e estarem preparados na reposição dos itens que compõem esse produto, quando de sua produção.

 

A Necessidade da Administração Participativa

Na empresa prestadora de serviços, que depende de pessoas para a realização dos serviços, é preciso constante processo de treinamento e capacitação dos envolvidos, para que essa empresa chegue ao patamar de referência em seu mercado de atuação e pela constante busca de sua excelência.

6.1 Equipes auto-gerenciadas

A autonomia dada no processo de decisão da empresa com certa dose de responsabilidade, faz com que haja crescimento da empresa num todo, pois as pessoas envolvidas, mesmo não sendo donas do negócio, tomam decisões como se assim fossem, visando o crescimento dos negócios envolvidos.

Para que haja essa visão de crescimento é preciso uma cultura de conscientização que envolve a participação dos envolvidos com a empresa e consciência dos envolvidos para que as tarefas realizadas visem o crescimento tanto da empresa, quanto dos envolvidos com a administração. Saber delegar e saber acompanhar o que foi delegado é de grande importância para o crescimento das equipes auto-gerenciadas dentro de uma organização.

6.2 Vantagens da parceria entre as empresas

Empresas que precisam trabalhar com estoque mínimo para a realização de sua produção ou de suas vendas, cuja finalidade é a redução de custos, buscam formar parcerias com empresas que proporcionam a entrega dos produtos que compõem sua linha de produção. Com o crescimento do mercado, este controle passa a ser mais exigente pois, para existir redução de estoques, o controle desses estoques tem de ser muito rígido e isto é feito com uma margem de segurança onde não há sobra em excesso e nem falta em excesso e não acarretar o descontrole do produto produzido.

Como exemplo desse sistema, temos as montadoras de veículos que, para não manterem excesso de estoque, buscam fabricar carros de acordo com a demanda dos clientes. As empresas na prática negociam um prazo para entrega dos veículos para esse cliente e sua produção é realizada conforme a demanda. Outra parceria é a feita com os fornecedores dos itens para a montagem dos veículos que, muitas vezes chegam a participar da linha de montagem dos veículos para que não haja estoque destes itens, nem a falta dos mesmos na linha de produção. Com isto sobra tempo e recursos para suprir a necessidade da busca contínua pela inovação de seus produtos, garantindo tanto a satisfação quanto o bem estar do cliente. Por ser competitivo o mercado, permanece quem acompanha as suas tendências, o avanço da tecnologia, a redução dos custos de produção e a busca constante da satisfação e fidelização do cliente.


7 Como implantar a Administração Participativa

A implantação por envolver diferentes dimensões como a comportamental, a estrutural e a interfaces, cabe aos administradores adotarem o melhor estilo de trabalho para que o crescimento possa ser de forma abrangente e positiva para a empresa.

O comportamento na administração participativa para ser realizado na melhor forma possível é necessário que substitua o estilo tradicional em administrar pessoas como o autoritarismo e o paternalismo, pela informação, envolvimento das pessoas, delegação, consultando e perguntando as pessoas, é uma forma de visar o crescimento da empresa de forma conjunta, com a cultura de consciência da participação dos envolvidos na organização.

O lado estrutural da empresa quando descentraliza e participa os envolvidos, visa crescimento amplo, sem a existência da ordem partir do topo da pirâmide. Já na interface tanto os funcionários, clientes, fornecedores e distribuidores, participam e ajudam direta ou indiretamente, no aprimoramento da administração e crescimento da empresa no mercado em que atua.

O desenvolvimento interno da empresa depende da participação interna dos envolvidos. Com a abertura para a participação externa, possibilita-se o crescimento da empresa externamente e o aprimoramento de suas atividades desenvolvidas, tanto para crescimento interno quanto externo, voltado para o seu mercado de atuação.

7.1 O comprometimento dos envolvidos

Na administração participativa, como a participação dos funcionários tem muita importância, de certa forma a abertura para a participação dos mesmos nas tomadas de decisões, essa participação passa a ser democrática pois envolve o cargo mais alto e o cargo mais baixo da organização. Consultar as pessoas antes de tomar qualquer decisão vai favorecer no crescimento de todos e o convívio entre o grupo. O ambiente deixa de ser totalmente formal, pois fora do ambiente de trabalho as pessoas passam a si encontrarem mais e de forma informal. Passam a conhecerem os familiares das pessoas com quem trabalham e que não fazem parte da organização onde trabalham. Isto possibilita início e crescimento da amizade entre as pessoas tanto dentro quanto fora do ambiente de trabalho.

Saber dosar essa amizade é fundamental para que não haja excesso de mistura entre amizade e profissionalismo, onde o comprometimento das pessoas com a empresa, que é de fundamental importância para o crescimento da mesma, não seja prejudicado nos relacionamentos.

7.2 Visando crescimento da empresa com participação de lucros

Através da participação conjunta e contínua dos envolvidos com a organização, a responsabilidade passa a ser de todos. Quando não há resultado satisfatório com relação a uma ação que vise lucro, é fundamental saber o erro para que nenhuma decisão tomada antes de ser bem pensada e planejada não gere desgaste e conflito entre os envolvidos para que, em longo prazo esse desgaste não resulte numa série de resultados negativos, levando a empresa a sair do mercado em que atua, pois esses resultados podem levar a falência da empresa.

A participação nos lucros para os funcionários é um dos benefícios que a empresa pode usar como forma de incentivá-los e motivá-los em alcançar os resultados. Na prática as pessoas se sentem parte integrante da empresa. Com isto, eles passam a ser peça fundamental no crescimento da empresa de forma abrangente, no desenvolvimento individual, no crescimento do grupo como um todo onde, não basta apenas o lucro e sim o crescimento conjunto dessa empresa internamente e no mercado.

Gerar benefícios como plano de saúde, plano odontológico, seguro de vida, transporte próprio da empresa para seu funcionário, são meios de gerar bem estar e satisfação para o funcionário que trabalha para uma determinada empresa, seja nacional ou internacional.


8 Visibilidade do negócio

Os envolvidos com a empresa onde atuam, tendo a percepção e senso de crescimento, faz com que haja resultados sempre positivos, onde a diversificação de produtos ou serviços prestados se tornem meios de gerar aumento do lucro e aumento na abrangência de mercado.

Essa visibilidade na prática gera benefícios que podem garantir para a empresa a qualidade dos produtos e serviços, a conquista de novos mercados, maior margem de lucros, menor custo de produção, sua permanecia no mercado. O foco está voltado para o benefício que um produto ou serviço pode gerar ao ser utilizado.

Cabe a empresa saber direcionar para a melhor estratégia a ser adotada pois, uma decisão bem planejada, estruturada, resulta em crescimento amplo do negócio, melhor visibilidade do grupo, aumento da experiência profissional das pessoas, ajuda para a tomada de decisão, pois nem toda idéia irá gerar crescimento e benefícios para empresa. Com isto os resultados serão os melhores possíveis e o benefício irá para quem adquirir os produtos ou serviços, ou seja, o cliente final.


9 Conclusão

Participar as pessoas dentro de uma empresa pode ser fácil para alguns, mas para outros pode ser complicado. Não basta envolver as pessoas, é preciso saber delegar tarefas sem que as pessoas encarem essa tarefa como uma ordem superior. Valorizar o potencial de cada pessoa, respeitando seus limites , são fundamentais, para que uma empresa busque a participação conjunta e contínua. Não basta delegar é preciso a participação das pessoas dentro de uma organização pois, consultando as pessoas e por mais simples que seja a sua participação, isto pode gerar inovação, melhoria dos produtos e dos processos produtivos dos mesmos, maiores lucros, mais qualidade, menos desperdício e também o crescimento quanto à abrangência do mercado em que a empresa atua. A participação é fundamental.


10 Referências

Disponível em:

<http://www.paginas.terra.com.br/educaçao/amkt/TAADM_ADMParticipativa.dod>. Acesso em: 05 out. 2006;

Pesquisar no site

Contato

Vladimir Cerqueira